Facebookmail

DARC NEWS

subscribe our newsletter

07. MARÇO
Lugar da Desordem – Workshop + concerto

10954928_554150938060975_3614689799556060378_nWorkshop : 16h
Concerto : 21:30h

Com uma actividade que remonta a 1995, este trio actualmente formado por Paulo Curado (saxofone alto e soprano), Hugo Antunes (contrabaixo) e Bruno Pedroso (bateria) manifesta desde logo na escolha do seu nome uma intenção : partir da linguagem do jazz para a libertar de espartilhos estanques com vista a uma comunicação feérica e simbiótica. Assumindo a improvisação como espaço aberto para a colisão harmónica e tímbríca entre os três instrumentos, o Lugar da Desordem vai criando um rendilhado livre, num jogo de contrastes e encontros irresoluto conduzido pela tenacidade destes três músicos.

Paulo Curado tem sido uma presença constante em várias vertentes musicais, seja através da composição de música para teatro, dança, cinema, com particular ênfase no sempre difícil mundo da animação e da música para crianças – de onde se destaca ‘Bom dia, Benjamim’ – quer por via de inúmeras colaborações nos meandros do jazz, da improvisação e da música experimental, onde prevalece um espírito verdadeiramente democrático.

Actualmente a residir em Bruxelas, Hugo Antunes é uma fonte inesgotável de conhecimento, virtuosismo e sentido de descoberta constante ao contrabaixo. Extremamente prolífero, tem pavimentado uma muito respeitável carreira através de projectos como Malus, colaborações com nomes tão fulcrais quanto Paul Lovens, Chris Corsano ou Nate Wooley e como líder nos Roll Call.

Bruno Pedroso é um baterista cuja percurso se confunde com muita da música feita em Portugal ao longo de quase 30 anos. Tendo começado como baterista freelancer para bandas como os Heróis do Mar ou Mler If Dada e integrado os Plopoplot de Nuno Rebelo, assumiu o jazz como linguagem primordial, tocando com músicos tão meritórios como Bernardo Sassetti, André Fernandes, Avishai Cohen ou Peter Epstein.

Durante a tarde, Hugo Antunes vai conduzir um workshop que consiste, nas palavras do próprio :

“Abordagem de conceitos de improvisação (ex Roll Call, Clean Feed records). Exercicios: da abstracção ao som; representação sonora figurativa. Construcção interactiva do processo criativo. Do “porquê”, do “quê” e “como” da improvisação livre. Da simplicidade e acessibilidade sónica ao alcance de qualquer músico/não músico e qualquer instrumento.”

Workshop + Concerto : 9€
Workshop : 6€
Concerto : 3€
A entrada no Desterro é exclusiva a sócios da DARC, pelo que para os não sócios acrescem os 3 euros da quota anual.

 

Facebook